Vivemos num Mundo conturbado repleto de problemas e incertezas perante o teatro da Vida. Quando os olhos se embaciam, o silêncio fala e as interrogações permanecem...é chegado o momento de meditarmos e nos abrirmos à FILANTROPIA
Sábado, 26 de Janeiro de 2013
Haja disciplina e contenção
Bem gostaria de recomeçar! Ter juventude e lucidez ao mesmo tempo! Quantas e quantas vezes ouviram ou disseram estas frases?

 

Não se julguem culpados. O problema continua nas gerações mais jovens. No passado não havia condições e o presente vive à nossa frente incerto, limitado ao que nos oferecem sem oportunidade de dizermos: Não!

 

Há ainda quem se rebele e diga: Não façam isso, é desumano… Com a sua coragem perderam também o seu emprego. Deslocaram-se para o lado errado. Temos de viver calados porque temos filhos e no tempo em que vivemos as consequências da rebeldia são dramáticas.

 

É preciso instruir. É necessário distinguir o essencial do supérfluo. Mas não! Tudo que é prejudicial é-nos oferecido em bandejas coloridas aliciando aqueles que não conseguem discernir. Porque não o conseguem?

 

Porque o povo tem de continuar a existir para alimentar todos aqueles que nos entregam só o que acham conveniente. Limitação é o termo.

 

Ao longo da vida perdemos tanta coisa! Esse tempo impalpável sempre correndo apressado sem dar tempo…Ficamos despojados de nós próprios, sem termos sido, sem nos termos completado. Fomos enganados. Todos temos o direito e a seguir o dever de irmos mais além. Sempre ouvi dizer que parar é morrer. Quem nos oferece as alternativas a que temos direito?

 

Lutar pela cultura e saúde do povo devia ser um dos principais objectivos de quem nos governa. Pobres mas não ignorantes. Quantas e quantas gerações se mantiveram na mesma pobreza, na mesma ignorância? Avós, pais, filhos…e os netos por esse caminho vão.

 

Vivemos estimulados pelas facilidades. É só abrir a TV. O que nos aparece? Os sábios(as) que estão na moda, telenovelas, futebol e um conjunto de notícias que são transmitidas de uma maneira leviana e que são no dia seguinte desmentidas sem mais nem para quê. Há tanta coisa para dizer de uma maneira simples e estimulante mas, apenas uma pequena parte, é  focada nos meios de comunicação. Há muitos interesses envolvidos.

 

Depois há os dias em que se debate o patriotismo, a inter-ajuda e o bem-fazer. Muito se fala dos pobres do terceiro mundo mas, os problemas existem, também no primeiro e no segundo mundo... O importante na política são os interesses que prevalecem. Estende-se a mão sorrindo a quem não se deve. Perdeu-se a memória. A minha mãe sempre me ensinou que valia mais comer apenas uma sopa por dia do que nos vendermos. O que me resta é ainda acreditar na lucidez dos jovens. Tenho uma necessidade enorme de acreditar neles.











Digam-me: Quem vislumbra a felicidade neste país?



 







Qual o meu conceito de felicidade depois de tantos anos de vida e de luta?


 

Gostaria que todos tivéssem instrução suficiente, um serviço de saúde decente, oportunidades de trabalho de maneira a criarem os filhos com alegria.





O stress instalou-se e porquê? O patronato abusa porque a procura é maior que a oferta. Assim uma pessoa tem de trabalhar por três. E é que trabalham mesmo porque se instalou o medo. O medo e a  ânsia de sobrevivência acobardam e transformam muitos de nós. Hoje a exploração prevalece mais do que nunca. Lutem pois pelos vossos direitos. 

 

Inevitável

 

É inevitável!

Nascemos e herdamos a morte

Cola-se à nossa pele

Vive emocionada

Com tudo o que vê cega

Arrebata-nos e absorve-nos

Num momento imprevisível

Previsível na sua cegueira de lágrimas.

 

Não há regras

Não há disciplina

Não há justificação

Não há certezas.

 

Só que

Os intocáveis envolvem-se

Em membranas viscosas e opacas

Isolam-se em mansões

Usufruem os seus milhões

Melífluos justificam

As suas regras

As suas certezas

Haja disciplina e contenção.

 

Aida Nuno

sinto-me:

publicado por criar e ousar às 12:13
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
posts recentes

Porquê?

A Paz

A vida tem um movimento e...

O meio ambiente

Os Outros e Eu

Haja disciplina e contenç...

Sentir as Palavras

VIRGILIO FERREIRA (1916-...

Direitos da Água

VIRGINIA WOOLF (1882-1941...

COBARDIA

O Natal e os Desejos

ANDRÉ MALRAUX – (1903 -19...

À beira mar plantado

Não à desistência

favoritos

E o que Fazer?

Partilhar

Aos nossos Filhos

Valorizando a Vida

Mensagem

Os Cristos no Mundo

Ambição

Emigrantes

Afectividade

A Ausência

arquivos

Junho 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Maio 2012

Janeiro 2010

Setembro 2008

Maio 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

tags

todas as tags

links
pesquisar
 
E-mail
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
blogs SAPO