Vivemos num Mundo conturbado repleto de problemas e incertezas perante o teatro da Vida. Quando os olhos se embaciam, o silêncio fala e as interrogações permanecem...é chegado o momento de meditarmos e nos abrirmos à FILANTROPIA
Quarta-feira, 2 de Maio de 2007
Não à desistência

 

Precisamos de ser persistentes

Acreditar continuando

Nesta esperança que nos alimenta

 

         Todos nós somos capazes, com mais ou menos sacrifício, de partir e chegar a um lugar. Esse objectivo pode-se tornar difícil conforme a estrada se nos apresenta. Somos eternos caminhantes nesta vida...

 

         O Homem é um ser obstinado e infatigável capaz dos maiores sacrifícios para atingir as suas metas mesmo que, por vezes, o esforço seja desumano. Muitos fazem-no por ambição outros porque são pressionados.

         Até onde podemos chegar quando somos obrigados a sacrificar todo o nosso tempo útil às funções que alicerçam o nosso quotidiano?

 

         Se partir e chegar é para alguns um marco de esforço e perseverança concretizando por fim os seus objectivos para outros é muito difícil fazer o seu trajecto porque os limites os deprimem.

 

         É assumindo a vida que crescemos na luta de modificar o que está mal. Só encontraremos melhores soluções interagindo com os que caminham ao nosso lado. Assim, em comunidade, aprenderemos a construir solidariedade. Não somos uma ilha mas sim parte de um todo que sofre com problemas de vária ordem sufocando o seu dia-a-dia. Não podemos arranjar desculpas para fugir, por muito sofrimento que esteja dentro de nós. Temos de enfrentar os obstáculos.

 

         Todos, mesmos os mais poderosos, tremem quando os elos que os prendem são fortes. Quero dizer que somos todos feitos da mesma matéria. As oportunidades como, por exemplo, a instrução será sempre uma arma muito forte para combater as injustiças. Lutemos pois por sanar os problemas, com que os nossos pais foram defrontados, ou seja, a ignorância que se continua arrastando até aos nossos dias. O que é que está mal?

 

         Pensem pela vossa cabeça e chegarão ao vosso lugar.

Aida Nuno

                                                                            


sinto-me:

publicado por criar e ousar às 23:26
link do post | comentar | favorito
|

4 comentários:
De Genny a 3 de Maio de 2007 às 14:08
Viste o filme "o nome da rosa"? Lembro-me sempre desse filme quando falam em ignorância do povo e o que os mais poderosos faziam para manter o povo sob as suas ordens. O Clero e a Nobreza de então têm muita culpa no cartório e estas situações ainda se vivem hoje em dia, infelizmente. Hoje já reclamamos um pouco mas as nossas vozes ainda não chegam muito acima. Cada vez há mais corrupção. Acho que tens muita razão quando te referes à instrução, esta sim é uma arma poderosa que devíamos explorar para nosso bem.
Um abraço.


De criar e ousar a 3 de Maio de 2007 às 21:36
Olá amiga Geny,

Ainda bem que aderiste ao tema.Sim vi o filme e tenho a tua opinião. A instrução dá-nos possibilidade de entender e lutar contra a injustiça no seu todo.
Continuam a querer que sejamos ignorantes e o povo continua com o futebol ao rubro ( abertura de muitos telejornais), com os programas obssessivos que nos entram em casa, etc. Eu também gosto de bom futebol, gosto de coisas normais mas é preciso não nos obcecarmos.Qual a percentagem de programas feitos pelos jovens deste país para divertir mas também para ajudar a cultivar? E então corrupção...
A vida não é continuar a vivermos com a ilusão do "não tem importância, vamos viver o momento".
O que fazer com o resultado de tudo isto?
Com amizade,

Aida


De Tó Zé a 23 de Maio de 2007 às 22:46
Sábias palavras.

Tó Zé.


De criar e ousar a 25 de Maio de 2007 às 19:16
Obrigada Tó Zé. É muito gratificante saber que apreciam o que eu sinto e transmito pela escrita.

Com amizade,

Aida Nuno


Comentar post

mais sobre mim
posts recentes

Porquê?

A Paz

A vida tem um movimento e...

O meio ambiente

Os Outros e Eu

Haja disciplina e contenç...

Sentir as Palavras

VIRGILIO FERREIRA (1916-...

Direitos da Água

VIRGINIA WOOLF (1882-1941...

COBARDIA

O Natal e os Desejos

ANDRÉ MALRAUX – (1903 -19...

À beira mar plantado

Não à desistência

favoritos

E o que Fazer?

Partilhar

Aos nossos Filhos

Valorizando a Vida

Mensagem

Os Cristos no Mundo

Ambição

Emigrantes

Afectividade

A Ausência

arquivos

Junho 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Maio 2012

Janeiro 2010

Setembro 2008

Maio 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

tags

todas as tags

links
pesquisar
 
E-mail
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
blogs SAPO